fbpx

Aplicativo da UTFPR sobre sono ganha fase nacional do concurso da Nasa

Aplicativo sobre sono ganha fase nacional do concurso da Nasa

Dois Vizinhos

App cria status para os astronautas saberem como anda a qualidade do sono (Foto: acervo pesquisadores)

Quem já teve insônia ou problemas para dormir, sabe a importância de uma boa noite de sono para as atividades cotidianas. Um aplicativo que auxilia na qualidade do sono ganhou a fase nacional do concurso Nasa SpaceApps Challenge 2020, que tem a participação de cinco agências espaciais (Nasa, CSA, CNES, JAXA, ESA). Um dos desenvolvedores é o aluno de Engenharia de Software do Câmpus Dois Vizinhos, Luan Ralid. Ele e mais cinco estudantes da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), Willian Lemos, Wanderson de Oliveira, Thales Oliveira, Carlos Nascimento e Pricilla Suzano, disputarão agora a fase mundial da competição com a equipe Hypnos.

A Hypnos desenvolveu um aplicativo, o Leep, que funciona com um eletrodo acoplado em um fone de ouvido e que induz o astronauta ao caminho da melhor frequência de som para corrigir o estágio do sono, proporcionando que ele tenha o sono mais próximo do ciclo de sono ideal.

Os estudantes explicam no projeto que para se ter um bom sono você deve passar por Alpha, Theta e chegar em Delta onde o sono profundo ocorre e te faz relaxar. Para acordar, você deixará Delta e irá para Alpha. “No entanto, nem sempre podemos seguir esse caminho. Nosso aplicativo,  através do eletrodo não invasivo, é capaz de saber em que estado você se encontra e ajudá-lo a se manter no caminho correto através da reprodução de sons de baixa freqüência”, explicam.

Os médicos especialistas em distúrbios do sono alertam que o cérebro possui um marcador circadiano endógeno (ECP), que regula o sono e a química cerebral. Estudos indicam que o ECP deixa de funcionar corretamente cerca de 90 dias após a saída do ambiente terrestre. Além disso, quando os astronautas estão no espaço, eles estão em um ambiente inóspito, o que faz com que uma atividade simples como dormir tornar-se um desafio.

“O Leep seria como uma ferramenta do sono, integrando alimentação, exercícios e um módulo que ajuda você a passar corretamente pelos estados de sono”, explicam os alunos.

O estudante Luan foi o responsável pelo design e pelo direcionamento do aplicativo. “A idealização, prototipação e tudo que envolvia arquitetar ‘o que?’ e ‘como fazer’, foi responsabilidade minha. A proposta foi conseguir interpretar  frequências cerebrais através de machine learning e um eletrodo, para então retornar a frequência correta correspondente a fase de sono ideal do usuário. Entre outras características, o app consegue recalcular o ciclo circadiano do usuário de maneira completamente customizada caso ele seja desorientado. Ou seja, conseguimos resumir e regular o sono ideal em uma “agenda de sono” caso ele mude de fuso ou tenha algum evento que exija dormir mais tarde ou mais cedo que o normal. Além disso, o app traz uma interface que espelha o status de qualidade de sono do user de maneira bem amigável”, afirma.

O Leep funciona por meio da emissão de Binaural Beats, que é uma técnica de combinar duas frequências sonoras ligeiramente diferentes para criar a percepção de um único tom de nova frequência. Com isso, o Leep APP cria a melhor escala de sono para que as pessoas tenham um sono ideal.

“Criamos o módulo Leep, onde você pode adicionar um evento que muda seu ritmo circadiano. Nós o chamamos de Evento Leep. Você tem duas opções: o Travel Leep, que consiste em adicionar um vôo e através das informações disponíveis é possível organizar o horário de sono preparando-se para essa viagem. Outra opção é o Sleep Leep, que pode alterar a hora de dormir ou acordar ou ambas. Dessa forma, a cada novo Leep Event ou edição de um já existente, nosso app se reorganizará e sugerirá um horário de sono”, completam.

Avatar

O aplicativo também tem o avatar, o Little Leep, o qual dá ao usuário uma experiência personalizada e automatizada construindo uma programação de turnos de sono. Trata-se de um assistente responsivo que expressa o estado do seu usuário em si, através de cinco estados de emoção para demonstrar o quão desequilibrado está o seu ritmo circadiano, passando de saudável (muito feliz) a cansado (muito triste). Dessa forma, ele mostra ao usuário uma forma diferente de lidar com o sono e o ritmo circadiano, tornando as pessoas mais conscientes de como suas atividades afetam seu sono e como o sono afeta suas atividades.

Concurso

A competição teve mais de 2.300 projetos inscritos e contou mais de 26 mil participantes registrados de quase 150 países. O projeto da equipe foi escolhido em primeiro lugar durante a primeira fase e agora disputará a fase global concorrendo com equipes do mundo todo.

O grupo de estudantes pretende aprimorar o aplicativo para que possa ser utilizado futuramente para as pessoas na Terra, já que muitas pessoas possuem distúrbios de sono ou dificuldades para dormir.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L