fbpx

Colaboradores que desenvolveram vacina antirrábica do Tecpar são homenageados na 70ª reunião do Conselho de Administração

Os colaboradores que atuaram no desenvolvimento do processo produtivo da vacina antirrábica veterinária do Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), que foi reconhecido pela patente concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), foram homenageados nesta quarta-feira (31), durante a 70ª reunião do Conselho de Administração do Tecpar.

O instituto produz a vacina antirrábica há mais de 40 anos para as campanhas de vacinação do Ministério da Saúde e ao longo deste período utilizou diferentes métodos de produção. A presente metodologia utiliza células BHK-21 (Baby Hamster Kidney) e vírus PV (Pasteur Virus) em método de perfusão.

Devido ao grande volume de doses que o Brasil utiliza na campanha nacional de vacinação de cães e gatos, o Tecpar desenvolveu um processo produtivo de vacina antirrábica que utiliza o método de perfusão para a cultura de células e produção de vírus rábico. O processo atende às exigências de mercado e tem como diferencial competitivo a possibilidade de produzir com alta densidade celular e com alto rendimento.

A combinação desse método com os parâmetros de processos estabelecidos permitiu ao instituto a solicitação de pedido de patente, a qual foi concedida pelo Inpi – “Processo compacto de produção de vacina antirrábica veterinária utilizando células BHK-21, vírus PV e método de perfusão”.

Após a apresentação de um vídeo com o histórico da produção da vacina antirrábica veterinária, o diretor-presidente do Tecpar, Júlio C. Felix, agradeceu os colaboradores que participaram desta conquista para o instituto. “É com prazer que me reúno com os colaboradores do Tecpar para agradecer pelas conquistas. A carta patente, obtida em um tempo muito mais curto que o habitual nestes casos, mostra que a soma de competências produz inovações e apoia a proteção de conhecimento gerado dentro da empresa”, destacou.

Felix ressaltou ainda que o Brasil controlou a raiva humana com a vacina do Tecpar. “O instituto, com seus produtos, ajudou o país em uma questão de saúde pública e hoje há outros países, como Estados Unidos e Peru, interessados no nosso produto. A conquista da patente nos motiva a continuar inovando em todas as atividades que desempenhamos”, pontuou.

Rodrigo Silvestre, diretor Industrial do Tecpar, afirmou que o instituto tem uma posição de destaque entre os laboratórios públicos brasileiros. “Somos uma empresa multidisciplinar e temos um valor que precisa ser relembrado, porque produzimos aqui uma vacina com um processo produtivo único no mundo. Esperamos que em breve tenhamos licenciamentos deste e de outros produtos para também comemorar”, ressaltou.

Reitor da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) e presidente do Conselho de Administração do Tecpar, Aldo Bona disse que o Conselho de Administração está trabalhando junto com os colaboradores nesta nova fase do Tecpar e parabenizou o instituto pela conquista. “Esse resultado mostra que o instituto tem capacidade de inovar com novos produtos e isso deve servir de estímulo para cada área buscar inovar em suas atividades. Desta forma, continuaremos a consolidar o Tecpar como referência para o Paraná e para o Brasil”, pontuou.

Homenagem

Alguns colaboradores do instituto receberam, simbolicamente e em nome dos demais envolvidos no desenvolvimento da vacina antirrábica veterinária, um certificado em homenagem pela conquista da patente. Foram homenageados os colaboradores e ex-colaboradores: Ademir do Nascimento, Adriana Fontana de Mattos, Alexandre Mazur Lor, Aline Cristina dos Santos, Aline de Carvalho, Allen Carolina dos Santos Costa, Altair da Silva Pedra, Ana Maria Ferreira, Ana Paula Lappas Gimenez Sbalqueiro, Andressa Novo Loma, Angela Aparecida Preto, Angela Romilda Quintope, Anibal Adonski, Antonio Valdir Miranda de Oliveira, Arnaldo Glogauer , Aurelio Santo Zeferino, Beatriz Lourenço Correia, Carlos Stupak, Carolina de Moraes Kowalski, Caroline Biscaia de Lima, Claudemir Aparecido Braga Ruiz, Claudine Labiak, Claudinei Adonski, Clayton Roberto de Leão Peters, Dayane Wiggers, Debora Bittencourt Firman Juck Augusto, Detaubate Bonetto, Devan Marçal Edson Luiz dos Santos, Elder Ribeiro Pereira, Elisa Gomes, Elizana Aparecida Pereira, Emerson Luis Batista, Erica Mirian de Jesus, Euripedes Lucas dos Santos, Eva dos Santos Knopf, Jairo Luiz Labiak, João Wojcik, Jorge Minor Fernandes Inagaki, José David Sfendrych, José Henrique Ribeiro, Josiane Brodzinski, Julio Cesar Silva, Karla do Rocio Cabral, Karla Roberto Martinski, Luciana da Silva, Luciano Aparecido de Castro, Luciano Ferreira, Luis Carlos Daniel, Marcelo Morimoto, Marcelo Rolim Bento, Marcus Julius Zanon, Mariana de Oliveira, Mario Henrique Batista, Marlos Martins de Souza, Marta da Silva, Mauro Machado Russo, Mieko Azuma Watanabe, Mycke Henrique Barros Soares, Nilson da Silva, Paulo Augusto Gercheski, Paulo Cesar de Jesus Decol, Paulo Edson Ribeiro da Luz, Paulo Felipe de Lima Martins, Pedro Henrique Alves da Silva, Rafael Igreja, Raphael Silva de Oliveira, Raquel Kaminski de Oliveira, Raquel Sanson, Reginaldo Ferreira dos Santos, Renata Lima Kopsch, Romilda Farias de Oliveira, Rosangela Felix de Oliveira dos Santos, Roselena Nakamura, Silvio Bernardo do Carmo, Simone Tomaz de Assis, Tatiane Brugnari, Tereza Pacheco Cordeiro, Thaisa Scheuer, Veridiana da Marta Araujo Goulart, Viviane Scabia Braga, Welington Wichnieski.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L