fbpx

Escola 4.0: educação disruptiva alia tecnologia à formação de crianças e adolescentes

As mudanças na educação

A tecnologia e a digitalização estão mudando para sempre a forma como as pessoas consomem, se comunicam e aprendem.

A sociedade está passando por uma fase de transição para a chamada quarta revolução industrial ou indústria 4.0, em que tecnologias estão sendo incorporadas para dinamizar e moldar processos, não só de setores industriais, mas de todos as áreas.

Pensando no setor educacional, o estudo “Navigation the Future of Learning 5.0” mostra que o modelo de ensino precisa considerar fatores atuais como mudanças rápidas, incertezas, aluno no centro do processo e personalização do ensino.

A tecnologia pode ser aliada na formação de crianças e adolescentes, ajudando no desenvolvimento de habilidades fundamentais e preparando os alunos para a quarta revolução industrial.

Com isso, torna-se obrigatória a adaptação das instituições de ensino, transformando-se em escolas 4.0, com métodos de ensino que preparam as crianças para serem protagonistas da sua formação, respeitando suas particularidades, valorizam o uso de tecnologias pelos professores e entendam sobre o tipo de informação, conhecimento e habilidade que os alunos precisam hoje.

Uma pesquisa do Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic) mostrou que com o uso das tecnologias nas salas de aula:67% dos professores têm contato com outros professores e especialistas de outras escolas; 77% passaram a se comunicar com os estudantes com maior facilidade; e 94% garantem que agora têm acesso a materiais mais diversificados ou de melhor qualidade.

Happy Code – Sistema educacional disruptivo

Com o objetivo de disponibilizar um modelo educacional que atenda às exigências do século 21, preparando crianças e jovens com o desenvolvimento de habilidades fundamentais, a Happy Code criou em 2018 o sistema de ensino exclusivo Lean Education Technology, o LET, adequado às normas da BNCC.

O método passa por três pilares: A descoberta, que é a fase para o aprendizado de habilidades técnicas; missão, que é a fase de aprender sobre a resolução de problemas reais; e a construção, uma etapa para criação da apresentação de projetos por meio de protótipos.

“Nosso sistema de ensino vai muito além da programação, formando crianças e adolescentes para que eles sejam pessoas melhores e desenvolvam suas habilidades de criação e resolução de problemas reais, trabalhando em equipe para o desenvolvimento de projetos e soluções com empatia. Para isso, aprender tecnologia é apenas um meio e uma parte do processo”, ressalta a diretora da Happy Code Londrina, Ana Paula Murakawa.

Fonte: RIC MAIS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L