fbpx

Compliance é essencial para a construção de ecossistema de saúde íntegro e transparente

Por: Janaína Pavan – 16/12/2021

É preciso estabelecer ações efetivas, que realmente façam a diferença e demonstrem o compromisso das companhias.

(Imagem: Arte Migalhas)

(Imagem: Arte Migalhas)

O comprometimento com a ética e a transparência se mostra cada dia mais essencial para empresas. Nos últimos anos, foi possível perceber ainda mais a importância de adotar as melhores práticas de compliance na saúde para garantir processos íntegros, que respeitem as normas e leis vigentes, além de reforçar a responsabilidade das empresas com a sociedade. De acordo com dados do relatório “O mercado Global de Governança, Riscos e Compliance até 2025” feito pela Bravo Research, o crescimento médio anual do mercado de governança, riscos e compliance (GRC) para o setor de saúde, é de 10,8% entre os anos de 2019 e 2025.

Por isso, é preciso estabelecer ações efetivas, que realmente façam a diferença e demonstrem o compromisso das companhias. O resultado disso impactará diretamente na rotina da gestão e de toda a equipe e o reconhecimento poderá vir por meio da obtenção de certificações como o ISO 37001, concedido para as empresas que possuem um sistema de gestão antissuborno que atende aos mais altos padrões exigidos internacionalmente. Além disso, existe também o Programa Empresa Pró-Ética, da Controladoria-Geral da União (CGU), que reconhece o comprometimento das empresas com a adoção voluntária de medidas de integridade voltadas para a prevenção, a detecção e a remediação de atos de fraude e corrupção.

Para ser uma empresa com os mais altos padrões de conformidade, é preciso se comprometer verdadeiramente e trabalhar de forma árdua, pois este é um processo que deve ser enraizado na cultura e estar presente no dia a dia de toda a corporação. Em um cenário em que ainda existem empresas desestruturadas e com práticas inadequadas, ações como esta se tornam grandes diferenciais competitivos e fazem com que a companhia se destaque em relação aos concorrentes e possa fortalecer a confiança dos clientes, fornecedores, acionistas, colaboradores, pacientes e, também, a sociedade como um todo. E, sob esse aspecto, as certificações auxiliam a “subir a régua”.

A ética deve ser parte do DNA de uma empresa, que precisa difundir informações sobre o tema em todos os níveis de gestão. No ecossistema de saúde, este é um fator crucial: são essas boas práticas que vão garantir que os pacientes possam ter acesso a todos os recursos disponíveis para receber o melhor tratamento. Além disso, é um importante passo para a criação de um ecossistema integrado, pautado na ética e na transparência.

Todos os stakeholders podem se beneficiar, sendo possível construir, de forma conjunta, o melhor ambiente corporativo possível. Essa é uma grande responsabilidade, pois, se analisarmos o mercado de forma geral, chegamos a uma máxima: somente empresas éticas podem ter negócios sustentáveis.

Outro ponto importante é que as ações de fortalecimento do compliance precisam ser constantes, perenes e enraizadas. Acompanhar os processos, efetuar as atualizações necessárias e desenvolver novas soluções devem ser parte do planejamento das empresas. Na saúde, cuidamos do bem mais precioso que existe, a vida, por isso, é preciso construir valores sólidos que reforcem o compromisso com as melhores práticas e a responsabilidade em cuidar das pessoas.

Atualizado em: 16/12/2021 11:42

Janaína Pavan
Diretora jurídica e de compliance da Elfa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L