fbpx

IAPAR lança nova cultivar de mandioca e destaca o Paraná no setor

Dezenas de produtores rurais, empresários e lideranças políticas e empresariais de todo o noroeste do Paraná e até do Mato Grosso do Sul compareceram ao Polo Regional de Pesquisa do Instituto Agronômico do Paraná (IAPAR) em Paranavai no último sábado (6). Eles foram conhecer a nova variedade de mandioca lançada pelo Instituto, a IPR B36. 
 
O diretor de pesquisa e presidente interino do IAPAR, Rafael Fuentes, destacou a importância da pesquisa pública agrícola para o desenvolvimento de novas variedades. Segundo Fuentes, foram necessários 13 anos de experimentos entre cruzamentos e seleção de plantas até chegar ao resultado final. “O noroeste do Paraná é responsável por 10% da área de mandioca no Brasil e por 15% da produtividade nacional. Com nosso trabalho de desenvolvimento de novas variedades, estamos ajudando na contínua renovação do potencial produtivo”, destacou o diretor de pesquisa. “Essa região produz em média 25 toneladas por hectare. A IPR B36 eleva esse número para 30 toneladas. Esse acréscimo não só paga o investimento feito em pesquisa, como também contribui decisivamente para o desenvolvimento econômico e social de todo o Paraná ”, salientou.
 
CADEIA PRODUTIVA – O vice-presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP), presidente do Sindicato Rural de Paranavaí e diretor da Associação Brasileira dos Produtores de Amido de Mandioca (Abam), Ivo Pierin Júnior, destacou as vantagens da nova variedades. “Nós vimos com grande satisfação o trabalho do IAPAR em desenvolver essa nova variedade, que se mostrou bastante produtiva e adaptada às necessidades da cadeia produtiva da mandioca”, destacou Pierin Júnior. Ele ressaltou que o Paraná responde por 70% da produção de amido no Brasil, com grande representatividade da região Noroeste. “Dai a importância do desenvolvimento de novas variedades que atendam às demandas da indústria e melhore a renda do nosso produtor”, disse o vice-presidente da FAEP. 
 
O agricultor Benedito Gonçalves, de Indianópolis, ajudou no desenvolvimento da nova cultivar. Há quatro anos ele vem testando a IPR B36 com técnicos do IAPAR. “Estou achando excelente a nova variedade. Tanto é que vou parar de trabalhar com outras e ficar só com a IPR B36”, disse o produtor. “Ela é rápida no desenvolvimento, então não tem problema com mato, fecha bem, tem uma brotação boa, então é uma variedade vantajosa de trabalhar com ela”, acrescentou Gonçalves.
 
O pesquisador do IAPAR Mário Takahashi lembra ainda que a IPR B36 apresenta como pontos fortes a precocidade e o porte ereto e baixo, que facilitam os tratos culturais, assim como raízes curtas, as quais facilitam a colheita. Takahashi trabalhou diretamente no desenvolvimento da nova cultivar. Em virtude da boa receptividade dos produtores, ele adverte que há pouco material de propagação. “Nós não estamos conseguindo atender a todos os pedidos. Com o tempo esperamos normalizar a situação”, afirmou o pesquisador.
 
PRESENÇAS – Participaram do lançamento da nova cultivar o secretário municipal de agricultura de Paranavai, Tarcísio Barbosa de Souza, que representou o prefeito de Paranavai, delegado Caique; o chefe do escritório da Emater em Paranavai, Antonio Sousa; o diretor de administração, finanças e recursos humanos do IAPAR, Altair Dorigo; o representante da ABAM e produtor rural Guido Bankardht; a coordenadora Polo Regional de Pesquisa do IAPAR em Paranavai, Katia Gobbi, além de diversos outros servidores estaduais, produtores e líderes da cadeia produtiva da mandioca. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L