fbpx

Instituto de Biologia Molecular do Paraná lança Fundo Patrimonial

Fruto de uma parceria entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o Governo do Estado do Paraná, o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) acaba de implantar o Fundo Patrimonial IBMP, iniciativa que visa a captação de doações para investimento na produção e desenvolvimento tecnológico de novos produtos para a saúde, em especial soluções para diagnóstico in-vitroe também produtos terapêuticos. Atualmente, o Intituto é atualmente responsável pela produção de kits diagnósticos para zika, dengue e chikungunya, e também do kit NAT para controle das hepatites B e C, e de HIV, utilizados em 100% das bolsas de sangue dos hemocentros públicos.

Os fundos patrimoniais, conhecidos mundialmente como “endowments”, são pouco difundidos no Brasil, apesar de serem práticas consagradas em universidades, centros tecnológicos e organizações culturais sobretudo nos Estados Unidos e países europeus. “Com a constituição do Fundo Patrimonial, o IBMP está apto a captar doações para ampliar e acelerar suas pesquisas e inovações, fortalecendo suas ações junto à área da saúde com produtos inovadores, de qualidade e produzidos nacionalmente”, explica o diretor-presidente do IBMP, Pedro Barbosa. Entre as principais pesquisas em desenvolvimento que podem ser aceleradas estão novas moléculas para tratamento de câncer, doenças autoimunes, diabetes, além de kits diagnósticos para arboviroses, doenças respiratórias, gastrointestinais, totalizando cerca de 50 projetos em curso.  

A estrutura de gestão do Fundo é feita inteiramente a parte  da gestão operacional do IBMP, com inteira segregação patrimonial, obedecendo rígida regulamentação, transparência e segurança aos doadores e órgãos de controle externo e legais. Doações ao Fundo Patrimonial IBMP podem ser realizadas tanto por pessoas físicas quanto jurídicas, utilizando recursos financeiros ou mesmo bens imóveis. “Em poucos dias, todos os trâmites para operação efetiva do Fundo estarão concluídos, valorizando a decisão dos associados do Instituto, da Fiocruz e do [Instituto de Tecnologia do Paraná] TecPar de inovar na perspectiva do incentivo a política e incremento da cultura de doações para a ciência e a tecnologia no país. No mesmo momento da aprovação do seu Fundo Patrimonial, o IBMP também aprovou sua Política de Inovação, em alinhamento com as políticas governamentais de incentivo à ciência, tecnologia e inovação no Brasil”, ressalta Pedro Barbosa. Ele reforçou que a implantação do Fundo Patrimonial foi aprovado por seu Conselho Diretor, que conta com a participação de representantes da Fiocruz e do Tecpar. 

Para a Presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, a implantação do Fundo Patrimonial do IBMP reflete o gene inovador do Instituto. “Neste caso, a característica da atuação inovadora é refletida em arranjos organizacionais e mecanismos de financiamento que garantem o seu desenvolvimento e sustentabilidade. Além disso, coincide com a aprovação da lei 13.800/2019, que regulamenta esses fundos e acompanha a Lei 13.801/2019, que permite à Fundação de Apoio da Fiocruz participar de projetos relacionados à produção e desenvolvimento de insumos para a saúde. Ambas as leis contribuem para o incremento e a sustentabilidade das atividades de inovação no país”.
 
Instituto de Biologia Molecular do Paraná

Criado em 2001, por meio de uma parceria entre a Fiocruz e o Governo do Estado do Paraná, o Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBPM) atua em pesquisa aplicada, desenvolvimento tecnológico, inovação e produção industrial de insumos e kits de diagnóstico para a saúde. Atualmente, é responsável pela produção e pelo fornecimento ao Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos/Fiocruz) do módulo de amplificação do Kit NAT HIV (Aids), HCV (hepatite C) e HBV (hepatite B). O teste molecular garante a segurança transfusional da hemorrede brasileira e já foi aplicado a mais de dez milhões de bolsas de sangue. Ao longo de sua trajetória de quase 20 anos, o IBMP consolidou-se como Instituição Científica e Tecnológica (ICT), colaborando com o desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia no país e com o abastecimento da rede de saúde com produtos seguros e de qualidade. 

Fonte: Agencia Fiocruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L