fbpx

No Dia Mundial de luta contra a Raiva, Tecpar celebra carta-patente do processo produtivo da vacina antirrábica veterinária

No dia 28 de setembro é celebrado o Dia Mundial de luta contra a Raiva, com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre a prevenção da doença, que pode ser transmitida para qualquer mamífero – animal e humano. No Tecpar, a data neste ano tem um sabor especial: nesta semana foi concedida pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi) a carta-patente do processo produtivo da vacina antirrábica veterinária.

Sete pesquisadores do Tecpar foram registrados como inventores na carta de patente: Aurelio Zeferino, Angela Aparecida Preto, Raquel Koehler Sanson, Josiane Brodzinski, Paulo Felipe de Lima Martins, Emerson Luís Batista e Roselena Nakamura.

O gerente do Centro de Desenvolvimento e Produção de Imunobiológicos do Tecpar, Aurélio Zeferino, ressalta a importância da conquista e o agradecimento aos colaboradores do Tecpar. “Gostaríamos de aproveitar a data para agradecer a todos os colegas que colaboraram com o desenvolvimento do processo. Além dos colegas inventores, parabenizo aos técnicos, assistentes, auxiliares, bolsistas e analistas, pois sem o envolvimento de todos não seria possível chegar até aqui. Agradeço também à diretoria por sempre apoiar à produção. Esta é uma conquista do instituto”, destaca.

Dia Mundial de luta contra a Raiva

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, a raiva é mais conhecida por quem tem animal de estimação, por conta da vacinação. Atualmente, de acordo com o órgão, a segurança e a eficácia das vacinas para pessoas e animais são uma das estratégias mais importantes para o controle da raiva. Veja algumas dicas do Ministério da Saúde abaixo:

  • Animais domésticos devem ser vacinados anualmente contra a doença

  • É importante evitar aproximação de cães e gatos sem donos, não mexer ou tocar neles, sobretudo quando eles estiverem se alimentando ou dormindo

  • Nunca toque em morcegos ou outros animais silvestres diretamente, principalmente quando estiverem caídos no chão ou encontrados em situações não habituais

  • Se você for agredido por um animal, lave o ferimento abundantemente com água e sabão e passe um antisséptico. Mas isso não é o suficiente. É fundamental procurar assistência médica e informar detalhes do acidente ao profissional de saúde, se o animal tem dono, o local do acidente, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L