fbpx

Pesquisa desenvolvida na UEPG ganha prêmio internacional

Estudo é realizado no Laboratório de Biologia Molecular Microbiana (LABMOM), em parceria com o Laboratório de Fertilidade do Solo

Uma pesquisa realizada na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) foi premiada na XXIX Reunião Latinoamericana de Rizobiología (RELAR), realizada de 01 a 05 de abril, em Puerto Varas, no Chile – a iniciativa é uma das principais ações entre os eventos internacionais sobre microbiologia do solo e interação planta-bactéria. A pesquisa premiada é desenvolvida pela doutoranda Salomé Urréa Valência, aluna do Programa de Pós Graduação em Agronomia da UEPG e foi premiada como o melhor trabalho do evento.

Intitulada “Effects of nitrogen addition and bacterial inoculation on abundance of nitrogen fixing and denitrifying genes in a long-term continuous no-till system”, a pesquisa está sob orientação da professora Dra. Carolina Weigert Galvão e sob co-orientação do Prof. Dr. Eduardo Caires. O estudo foi realizada no Laboratório de Biologia Molecular Microbiana (LABMOM,http://sites.uepg.br/labmom/) em parceria com o Laboratório de Fertilidade do Solo.

Também participaram da pesquisa premiada o professor Dr. Rafael Etto, do Programa de Pós-Graduação em Computação Aplicada e também do programa em Biologia Evolutiva, e os estudantes Laís Karas, Daniel Potma, Willian Takahashi e Daiane Hyeda, do LABMOM, e Angelo Bini, do Laboratório de Fertilidade do Solo.

A pesquisa intitulada “For how long can be azospirillum brasilense abv5/abv6 detected in the field crops after inoculation?”, desenvolvida no LABMOM também concorreu ao prêmio de melhor trabalho do evento.

Trabalho interdisciplinar e reconhecimento

Segundo a professora Carolina, vice coordenadora da PPG em Agronomia e coordenadora do LABMOM, o prêmio é o resultado de um trabalho de pesquisa interdisciplinar, uma vez que envolveu professores do Departamento de Biologia Estrutural, Molecular e Genética (DEBIOGEM), do Departamento de Química (DEQUIM), do Departamento de Solo e Engenharia Agrícola (DESOLOS), além de alunos dos cursos de Biologia, Farmácia e Agronomia da UEPG.

Carolina destaca ainda que em 2016, outra pesquisa do LABMOM, também de caráter interdisciplinar, ganhou o prêmio de melhor trabalho na XXVII RELAR, com a pesquisa intitulada “Metagenomic analysis of diazotrophic bacteria from high-elevation grasslands soils of the parana state”.

“Esse prêmio foi importante para o reconhecimento internacional das pesquisas do LABMOM e contribuiu para a internacionalização da UEPG, uma vez que diversas parcerias de pesquisas com universidades internacionais foram firmadas desde então”, conta a professora Carolina.

Agricultura sustentável

A importância das pesquisas do LABMOM para o desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável, em especial, a compreensão da interação da bactéria Azospirillum brasilense com as culturas de milho, trigo, feijão, soja, cevada, aveia etc, foi ressaltada durante o evento pelo presidente da Associação Nacional dos Produtores e Importadores de Inoculantes (ANPII), José Roberto Pereira de Castro.

Durante o evento, os professores Rafael Etto e Carolina Galvão foram presenteados com o livro “Caminhos, Escolhas e Conquistas” do autor Solon Cordeiro de Araújo, consultor da ANPII e um dos pioneiros da inoculação no Brasil. O presente foi um reconhecimento à dedicação dos professores à pesquisa de inoculantes na agricultura brasileira.

O que é o LABMOM e quem são seus apoiadores

O LABMOM é um laboratório de pesquisa, ensino e extensão, situado no Bloco M, e esta credenciado na Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), e no Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Atualmente o LABMOM permite o estágio de estudantes de mais de 10 cursos de graduação e fornece infraestrutura e auxilia na pesquisa de 8 Programas de Pós Graduação da UEPG. Além disso, possui parceria científica com mais de 15 institutos de pesquisas nacionais e internacionais. Os seus projetos são financiados pelo CNPq, CAPES, INCT, Fundação Araucária e Petrobrás. Para mais informações acesse: http://sites.uepg.br/labmom/.

Fonte: UEPG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L