fbpx

Pesquisador cria vagas com carregador para veículos elétricos

Transformar um veículo normal em elétrico, ter um local para carregá-lo enquanto trabalha ou estuda, estacioná-lo em local privilegiado e ainda converter a energia do sol em eletricidade para a rede elétrica parece um sonho? Para o pesquisador do Departamento Acadêmico de Eletrotécnica (DAELT) do Câmpus Curitiba, Jair Urbanetz Junior, isso virou realidade.

Recentemente, o professor, juntamente com seus alunos de mestrado e bolsistas do Laboratório de Energia Solar (Labens), construiu um estacionamento coberto exclusivo para carros elétricos, com instalação de módulos fotovoltaicos, funcionando como uma usina geradora de energia ligada à rede elétrica na sede Neoville, operando no modo compensação de energia conforme regulamentação vigente no país. São duas vagas disponíveis e com local para carregamento dos veículos em cada vaga. Toda a mão-de-obra de construção, instalação dos equipamentos (doados por empresas parceiras) e pintura foi feita pelo professor juntamente com cerca de seus 15 alunos.   

“O estacionamento com carregamento solar era um desejo que eu tinha. Ele representa a união da geração de energia limpa com a mobilidade elétrica”, explica o pesquisador.

“Isso é uma sementinha que estamos plantando mostrando que o sistema é viável. Meu sonho é ver as vagas sendo disputadas no estacionamento, incentivando as pessoas a começarem a pensar nesta realidade”.

Juntamente com o estacionamento, o professor orientou a dissertação de seu então aluno de mestrado, Jardel Eugenio da Silva, a qual resultou na conversão de um veículo convencional, um modelo Mercedes Benz Classe A190, em 100% elétrico.

“Eu tinha o desejo de fazer a conversão de um carro elétrico e vi que tinha um aluno com esse potencial e que já tinha desenvolvido um veículo elétrico anteriormente em um TCC dele de outra instituição. A diferença é que este era um veículo pequeno, um mini bug. Então, lancei a ele o desafio de fazer a conversão em um veículo convencional e ele aceitou”, conta Urbanetz.

O tempo para o carregamento de um veículo nas instalações pode levar cerca de oito horas, por se tratar de uma tomada convencional de 220V. Segundo o professor, o próximo passo, agora, é instalar carregadores com diferentes conectores para que esse processo seja mais rápido, levando em torno de uma ou duas horas. “No mercado, hoje temos veículos com três modelos de conectores diferentes. Já deixamos o espaço para colocar no local a instalação para estes três modelos e estamos em negociação com empresas para nos doarem essas instalações”, completa.

Economia e Pesquisa

Os módulos fotovoltaicos instalados nas duas vagas de estacionamento da sede produzem cerca de 500 kWh por mês. Uma média de 6MWh ao ano. Convertidos à rede elétrica, essa energia representa uma economia de R$ 250 ao mês, ou R$ 3 mil ao ano. “Isso em uma área de apenas 8m², em média. Imagine se instalássemos em toda a área de estacionamento?”, ressalta o pesquisador Urbanetz.

A sede Neoville também recebeu, em 2016, através das pesquisas do professor, módulos fotovoltaicos instalados no telhado da sede com geração de 1MWh por mês. A economia desta instalação chega a R$ 500 por mês, representando R$ 6 mil ao ano.

Somada ao novo sistema fotovoltaico do estacionamento, a economia com gastos de energia elétrica para a Sede será de, aproximadamente, R$ 9 mil ao ano.

Os sistemas fotovoltaicos são importantes fontes de pesquisa para os professores e alunos da UTFPR. Além da economia de energia e incentivo à mobilidade urbana sustentável, elas fornecem informações sobre incidência solar, performance dos sistemas e os fatores diversos que levam a perda de energia.

Fonte: UTFPR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L