fbpx

UEL, UEM e Unioeste se destacam em ranking de propriedade intelectual do INPI

As universidades estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM) e do Oeste do Paraná (Unioeste) estão entre as principais instituições depositantes de pedidos de propriedade intelectual, no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi). O ranking inclui ativos como patentes de invenção, modelos de utilidade, marcas, desenhos industriais e software, depositados em 2020. - curitiba, 18/10/2021 - Foto: UEL

As universidades estaduais de Londrina (UEL)Maringá (UEM) e do Oeste do Paraná (Unioeste) estão entre as principais instituições depositantes de pedidos de propriedade intelectual, no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi).

ranking inclui ativos como patentes de invenção, modelos de utilidade, marcas, desenhos industriais e softwares depositados em 2020.

Somando 29 registros de Patente de Invenção, a UEL ocupa a 19ª posição. Já a UEM figura em 6º e a Unioeste em 24º, na categoria Modelo de Utilidade, com 7 e 4 depósitos cada.

O diretor da Agência de Inovação Tecnológica (Aintec) da UEL, professor Edson Miura, destaca o trabalho desenvolvido pelo Escritório de Propriedade Intelectual da instituição. “Esse resultado demonstra que os pesquisadores têm buscado a expertise que dispomos nessa área para garantir apoio e segurança para a proteção de suas pesquisas”, afirma.

No mês passado, o Conselho Universitário da UEL aprovou a Política de Inovação de Ciência e Tecnologia, que tem como objetivo estimular a inovação e negociar e gerir acordos de transferência e licenciamento de tecnologia. O documento representa uma ferramenta para a proteção da propriedade intelectual e deve incentivar a prestação de serviços técnicos especializados, extensão tecnológica, além de criar regras para uso e compartilhamento de infraestrutura e de recursos humanos.

O intuito é agilizar novos acordos de cooperação, transferências de tecnologia e registros de patentes. “A política de inovação nos confere mais autonomia para tratar com empresas e com instituições de ensino, pesquisa e inovação”, afirma o professor Edson.

Além das instituições estaduais de ensino superior, duas universidades federais também representam o Paraná nesse ranking: Universidade Federal do Paraná (UFPR), com 54 registros, e a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), com 63 depósitos.

PLATAFORMAS – Na última quinta-feira (14), a UEM lançou o Portfólio de Tecnologias – Edição 2021, que descreve detalhadamente as 42 cartas-patentes concedidas pelo Inpi para projetos idealizados na instituição. Dessas patentes, 31 foram obtidas entre 2018 e 2021.

O Portal do NITPAR – Núcleo de Inovação Tecnológica do Paraná também abriga informações de patentes de todo s os Nits do Paraná. Acessível no link:  Banco de Patentes – Nitpar
O Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) é coordenador do Núcleo de Inovação Tecnológica do Paraná (Nitpar), que tem como objetivo intensificar o repasse da capacidade científica e tecnológica existentes nas Instituições da Ciência, Tecnologia e Inovação para a sociedade em geral.

Desde sua fundação em 2007, com o apoio da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e da Fundação Araucária, a missão do Nitpar tem sido contribuir com a sociedade paranaense e os Núcleos de Inovação Tecnológicas das Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) incentivando a inovação, transferência de tecnologia, treinamento, capacitação e uso do sistema de propriedade intelectual.

Ao longo da história, a UEM também já conquistou 37 certificados de registro software e 10 certificados de registro de marca, emitidos pelo Inpi. Durante o evento, ocorreu ainda a entrega de outras 29 cartas-patentes e 13 certificados de registro de software dos últimos dois anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L