fbpx

Unicentro entre as universidades mais inovadoras do Brasil

Unicentro entre as universidades mais inovadoras do Brasil
Instituição é protagonista no desenvolvimento de novas ideias e na transformação do conhecimento

Por Universidade Estadual do Centro-Oeste

Por muitas décadas, o tripé Ensino, Pesquisa e Extensão foi o lema das universidades públicas brasileiras. Porém, nos últimos anos, um novo componente vem se integrando ao trio. Cada vez mais, a promoção da inovação tecnológica se torna mais ativa e incentivada no ambiente acadêmico. A Inovação consiste em desenvolver uma ideia, transformando-a em um novo produto, serviço ou negócio que tenha seu valor reconhecido pela sociedade.

Mesmo sendo uma instituição jovem, a Universidade Estadual do Centro-Oeste há muito tempo investe na inovação e o resultado dessas ações refletem nas avaliações nacionais. Segundo o último Ranking Universitário da Folha (RUF), que considera o número de patentes pedidas pela universidade e a quantidade de estudos que a instituição realiza em parceria com o setor produtivo, a Unicentro é a universidade estadual mais inovadora do Paraná, a 3º colocada entre universidades públicas e privadas no estado e a 18ª universidade mais inovadora do Brasil.

Desde a sua criação, em 2005, a Agência de Inovação da Unicentro (Novatec) participa ativamente de ecossistemas de inovação em níveis estadual, nacional e internacional, se mostrando um importante mecanismo para o desenvolvimento de novas ideias, que surgem dentro e fora do ambiente da universidade. “A Novatec tem foco na inovação o tempo todo – está em sua missão e em sua estratégia. As ações são realizadas principalmente por meio de projetos, cursos e eventos. Além dos setores de governança e de gestão da agência, dois programas de mestrado profissional atuam diretamente na Novatec. Vários pesquisadores contribuem com ações como consultorias para as startups, organização de eventos, previsão do estágio de maturidade das startups, manutenção do site, organização do ambiente, prospecção de negócios e parcerias estratégicas para inovação na Unicentro”, conta a diretora de propriedade intelectual da Agência, Claudia Crisostimo.


Universidade conta co m órgãos específicos para acelerar a inovação e a tecnologia — Foto: Divulgação Novatec

A Novatec se divide em quatro setores: Central de Análises, Divisão de Projetos Tecnológicos, Propriedade Intelectual e Incubadora Tecnológica. Essa última, a Integ, tem como finalidade apoiar a criação e o desenvolvimento de pequenas empresas de base tecnológica. Seu papel é oferecer apoio, assistência e capacitação para acadêmicos e docentes com ideias inovadoras e empreendedoras. Wellington Barbosa da Silva sabe bem disso, egresso do curso de Geografia da Unicentro, além de docente, agora é também empresário, dono da Prospecta Estudos Geográficos, uma das empresas incubadas na Integ. “Eu conheço a Integ desde que ela foi criada, ainda estava no período de graduação. Abri a empresa e senti a necessidade de trazer para dentro da incubadora, para tentar fazer uma proposta de inovação, tentar me inserir neste meio, ver quais as vantagens que isso ia trazer para a empresa e tentar ficar o mais atual possível”, conta.

Criada em 2019, a proposta da empresa é trazer produtos e serviços em falta na região, relacionados à geologia e geofísica, de forma inovadora. “Conforme eu fui trabalhando com geofísica e geologia, principalmente com a questão de poços profundos, conhecidos como poços artesianos, comecei a descobrir que existiam problemas muito graves com relação à contaminação das águas aqui na região e, aí, junto com outros professores, nós estamos desenvolvendo um produto, um sistema de filtragem que é inovador. Então, daqui algum tempo, nós esperamos já começar a produzir esse produto”, afirma Wellington, reconhecendo o benefício da parceria com a incubadora. “Fico muito feliz de a empresa estar inserida nesse meio, justamente por conta dessa parceria com a Integ, dentro da Unicentro. Comecei a ter uma luz maior sobre inovação, ainda estou aprendendo, mas é uma parceria extremamente benéfica porque me inseri dentro desse círculo de inovação aqui na cidade”.

 

A Agência de Inovação (Novatec) desenvolve uma série de projetos para estimular a inovação — Foto: Divulgação Unicentro

Outro exemplo de sucesso na área da inovação é o do biomédico e docente da Unicentro Carlos Ricardo Maneck Malfatti, que foi ganhador da 1ª edição do Programa de Apoio à Propriedade Intelectual com Foco no Mercado (Prime), iniciativa voltada à pesquisadores e titulares de patentes, visando incentivar a cultura empreendedora no ambiente acadêmico. A ideia inovadora é uma cerveja indicada para diabéticos. “Inicialmente, a ideia era extrair bioativos de interesse clínico de uma planta medicinal. Com o passar do tempo, percebemos – tanto em modelo animal, quanto em pacientes – uma visível melhora no processo fisiopatológico da doença diabetes, com significativas reduções de glicemia, hemoglobina glicada, alguns marcadores de estresse oxidativo, redução de marcadores de dano renal, de dano hepático, reduzindo toxicidade nesses órgãos alvo da doença, do processo fisiopatológico e no avançar dos sinais clínicos da doença e, por fim, resolvemos aplicar isso tudo na forma de cerveja, em uma espécie de acidente científico”, conta Carlos Ricardo Malfatti, que classifica a aplicação como “acidente científico” devido a um hobby do seu parceiro no projeto, o farmacêutico Ricardo Pereira Silva. “O Ricardo começou a produzir cerveja de forma recreacional e começou a implementar no seu grupo de pesquisa a produção de cervejas. Durante o seu doutorado comigo, houve a ideia de juntarmos isso tudo e, aí, foi um grande desafio. Nós chegamos a uma fórmula que pode se ramificar em outra”.

Rosemary, nome da cerveja indicada para diabéticos, já está na fase de finalização e, em breve, deve ganhar o mercado. “Estamos no processo final para acabar a cerveja, para ela poder estar mais próxima do seu consumo e vamos endereçar essa cerveja para empresários no âmbito nacional e também internacional. Temos um investidor italiano que teve a oportunidade de degustar a Rosemary e também temos um investidor nacional que vai tornar a produção, que é laboratorial hoje, em larga escala, tendo a possibilidade de produzir milhares de litros de Rosemary por mês”, afirma Carlos Ricardo Malfatti.

Além de produzir conhecimento científico, a Unicentro vem assumindo o protagonismo no desenvolvimento de novas tecnologias, induzindo a transformação desse conhecimento em produtos e serviços inovadores voltados a atender as demandas específicas da sociedade.

Universidade Estadual do Centro-Oeste- conteúdo de responsabilidade do anunciante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

LOGIN
L